30 de ago de 2011

Clínica de Rugby XV Feminino bate metas e surpreende organização

Evento contou com 63 jogadoras inscritas
Por Rodrigo Figliolini (rodrigo.figliolini@rugbyspirit.com.br)

Neste sábado, 27, aconteceu a 1ª Clínica de Rugby XV Feminino. O evento aconteceu em São Paulo e foi organizado por SPAC, Bandeirantes e Pasteur, além de contar com apoio da Federação Paulista de Rugby. Cerca de 63 jogadoras se inscreveram para o evento, e treinaram durante toda a manhã e tarde. As atletas foram divididas em quatro grupos e, com o acompanhamento de técnicos, realizaram treinamento de passe, moul, tackle e outros fundamentos do Rugby.

Os treinadores passavam instruções às jogadoras e comentavam suas jogadas sempre que necessário. Na segunda parte do treino, ocorrida na parte da tarde, as jogadoras realizaram treinos práticos (o conhecido “Coletivo”, nos treinos de Futebol) e recebiam orientações sobre sua posição e como otimizar seus potenciais defensivos e ofensivos enquanto jogavam.

A Clínica teve como objetivos estimular o crescimento do Rugby XV Feminino no Brasil, assim como a criação de campeonatos seguindo um calendário similar ao do masculino, de acordo com a organização. 

Ao final do treino, todas as jogadoras se reuniram para conversar e revisar o que foi aprendido no dia, qual percepção tiveram e como podem melhorar seu jogo. Em seguida, algumas concederam entrevistas, aonde falaram sobre o evento. “Foi melhor do que esperávamos. A qualidade das meninas também foi maior. Todas vieram com vontade de jogar, de fazer algo diferente e estavam abertas ao que estavam aprendendo. 

Havia meninas que jogam há muito tempo e outras que jogam há pouco tempo. Em campo, praticamente não percebíamos a diferença. Estavam jogando de igual para igual e com a mesma vontade. E essa é a grande expectativa que nós tínhamos. Que as jogadoras viéssem com vontade de jogar” comentou Mariana Segala, uma das organizadoras. 

Shasha, outra atleta responsável pela organização, analisou a importância do estímulo ao Rugby XV no Brasil. “Acredito que se os times começarem a focar um pouco no XV e um pouco no Sevens, alternando a cada 6 meses, podem levar os dois juntos. Meu sonho é termos um campeonato de XV no ano que vem”. A jogadora Bia Menini ressaltou aspectos do Rugby XV. “As meninas estão começando a ver o quão interessante é o jogo de XV e quantas estratégias ele possui. Também é mais aberto e democrático, qualquer biotipo pode jogar. E tem que ir para frente, para podermos nos divertir mais!” “Vejo que o XV traz mais o que é o Rugby de verdade. Ele é literalmente parceria. É um jogador estar colado na camisa do outro. E é muito mais coletivo do que imaginei. Quero mais clínicas e campeonato no ano que vem” analisou a atleta Julia Cavalcanti. “Foi diferente! Jogo há 1 ano e senti uma grande diferença (em relação ao Rugby Sevens)” contou Ana Carolina Moraes “Quando comecei a jogar, pensei que fosse como o dos meninos. Mas quando você sente na pele, vê que é totalmente diferente. Foi legal e me interessei mais” completou a jogadora. As atletas ainda destacaram o valor da experiência e se mostraram dispostas a participar de uma nova edição da Clínica.

De acordo com Mariana, existe a possibilidade de uma nova edição no final de Setembro, a qual provavalemente deverá ocorrer em São Paulo, no Band Arena. (NR: XV se refere ao Rugby de 15 jogadores, também conhecido como Rugby Union. É o formato no qual a Copa do Mundo será disputada. O Rugby Sevens conta com sete jogadores em cada equipe e é a modalidade olímpica do Rugby. Estará presente nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, em Outubro deste ano, e nas Olimpíadas do Rio de Janeiro, em 2016.)

Fonte: Rugby Spirit
Continue lendo...

29 de ago de 2011

IRB divulga Torneio Internacional de Rugby Sevens Feminino

Meninas do Brasil enfrentarão as melhores seleções do mundo. 
Por Rouget Maia, blogueiro do ESPN.com.br, espn.com.br

Abaixo notícia divulgada hoje no site da Confederação Brasileira de Rugby, sobre a criação do IRB Women’s International Sevens Tournament. 

É uma ótima notícia para o Brasil que pode aproveitar muito um incentivo da IRB ao rugby sevens feminino . O domínio sul americano, as boas apresentações no mundial e em torneios europeus credenciaram o Brasil em mais um torneio top level da entidade máxima do rúgbi.

Um bom resultado nesse torneio internacional pode corroborar de vez a entrada da seleção feminina de rugby sevens nos principais circuitos de seven do mundo.

Jogar nos grandes centros é outro papo. As jogadoras precisarão melhorar ainda mais as qualidades físicas e técnicas. Taticamente o time também precisa evoluir e mais treinos serão necessário para esse grupo quase permanente dos dias de hoje.

O caminho da profissionalização da seleção brasileira está mais próximo para as mulheres, a entrega e o custo financeiro para a CBRu é maior também.

Mas como eu escrevi antes, jogar nos grandes centros é outro papo. A visibilidade é muito maior, as TV’s costumam transmitir os principais torneios para os principais centros de rugby. E mesmo em competições oficiais da IRB, onde nenhum patrocinador apareceria a CBRu pode explorar a exposição da seleção feminina. Afinal a Topper não é uma das principais marcas da America do Sul? Ela estará sozinha na camisa da seleção brasileira.

Tudo isso é fumaça hoje, um exercicíco de futurologia. O presente já é para comemorar e torcer muito para as meninas do Brasil no final do ano em Dubai.

Segue abaixo a notícia publicada pela CBRu

Fruto de discussões entre vários Países, visando aumentar e melhorar a competição entre Seleções Femininas, o International Rugby Board (IRB) divulgou a criação do IRB Women’s International Sevens Tournament, que será realizado em Dubai, Emirados Árabes Unidos, de 1 a 3 de dezembro próximo.

O torneio feminino ocorrerá em paralelo ao HSBC World Rugby Sevens Series da categoria masculina.

A competição contará com a participação de 8 Países: Nova Zelândia, Austrália, Inglaterra, África do Sul, Estados Unidos, China, Canadá e Brasil.

Sami Arap, Presidente da CBRu, comentou que "Desde que fui convidado a integrar a Comissão do IRB para Desenvolvimento Mundial de Rugby Feminino, composta por 8 representantes dos continentes, manifestei inquietude em relação a falta de competições internacionais para o rugby feminino. A Seleção Brasileira Feminina, neste sentido, equipara-se aos Pumas Argentinos: estão isolados na América do Sul, sem competição local e precisam excursionar para outros continentes, visando atuar em partidas competitivas. É uma enorme vitória para o rugby brasileiro a criação desta semente de um circuito internacional de rugby sevens, com as melhores seleções do mundo, juntamente com promessas tais como China e Brasil."

O torneio faz parte dos preparativos para a Copa do Mundo de Rugby Sevens que será disputado na Russia em 2013.

João Nogueira, Coordenador de Alto Rendimento do Rugby Feminino, recebeu a notícia com satisfação em relação aos resultados advindos do trabalho da equipe e ressaltou que "Esta será uma ótima oportunidade para continuarmos a competir em alto nível internacional antes do Campeonato Sulamericano a realizar-se em Fevereiro de 2012 (única competição internacional de rugby feminino na América do Sul). Será um torneio com um nível muito elevado e as atletas serão testadas no limite uma vez que enfrentaremos sete seleções das quais cinco nunca enfrentamos e duas que nunca vencemos. Espero que esta iniciativa do IRB possibilite que venhamos a participar de outras etapas de um circuito que envolva o rugby feminino de sevens no futuro".

A Seleção Feminina de Rugby Sevens realiza treinamentos com recursos oriundos da Lei Agnelo Piva, através de repasse do Comitê Olímpico Brasileiro.
Continue lendo...

25 de ago de 2011

Quer fazer parte do Rugby de Calcinha?

Olá meninas!!!

Essa é a chance de fazer parte do Rugby de Calcinha. A equipe do RdC está em busca de novas colaboradoras para o nosso amado blog.

Aqui vão alguns requisitos:

-Gostar muuuito de RUGBY, pode ser jogadora, namorada de jogador, fã...
-Ter disponibilidade para postar no mínimo 1x por semana (matérias de outras fontes também vale!)
-Ter bom português (não exigimos uma "Pasquale", mas saber regras importantes é essencial);
-Escrever de um jeito descontraído (você não vai levar ponto de corte se não souber escrever assim);
-Ser bem informada sobre o que acontece no rugby feminino (isso é mega importante);

Para se candidatar é só enviar um e-mail para o rugbydecalcinha@gmail.com, com o assunto: COLABORADORA RdC e fale um pouco sobre você, de onde você é, qual a sua relação com o rugby... Entraremos em contato com todas as candidatas. Não esqueçam de colocar a cidade.


Até mais!

*Não oferecemos salário, porque nem nós recebemos!
Continue lendo...

22 de ago de 2011

II Campeonato Gaucho de Rugby Sevens Feminino 2011


O San Diego é o mandante após as etapas de Rio Grande, Caxias e Pelotas.

Serão 7 equipes participantes:

San Diego e Charrua(Porto Alegre)
Atlântico Sul (Rio Grande)
Universitários (Santa Maria)
Farrapos (Bento Gonçalves)
Serra (Caxias do Sul)
Continue lendo...

Circuito Feminino de Rugby do Nordeste 2011



Alagoas receberá a 2ª etapa do circuito, nos dias 27 e 28, na Villa Olimpica Lauternay Perdigão.

Contato: carmenffreire@gmail.com
Continue lendo...

19 de ago de 2011

Daniel Gregg de cuequinha para Carmim

Meninas, ó as coisas melhorando! A gente, que sempre idolatra os peladões rugbiers de fora, temos a honra de apresentar pra vocês a campanha de underwear que o Daniel Gregg, da seleção masculina, fez pra Carmim.
Imagina, voltando da faculdade no ônibus, vejo um outdoor na banca de revista com um homem de cueca. Ok, propagandas assim são comuns e tal. Mas bato o olho na palavra rugby. EPA! Quando olho, o Gregg todo de cuequinha fazendo a carinha de sério! Precisava compartilhar isso aqui no Rugby de Calcinha, com nossas leitoras amantes do bom rugby, né?
Mas além de compartilhar, fui falar com ele e saber mais dessa iniciativa bem legal que a Carmim está tendo em patrocinar esse atleta de ponta no esporte e proporcionar essa belezura! Que sirva de exemplo, hein? ;)


Rugby de Calcinha - Como surgiu esse patrocínio da Carmim, como eles chegaram em você e por que eles escolheram um atleta de rugby?
Daniel Gregg - Após o sulamericano de seven a side deste ano, em Bento Gonçalves - RS, a Carmim  entrou em contato comigo via Facebook. Disseram que puderam ver muitas reportagens e comentários do nosso desempenho na competição e principalmente sobre a vitória contra a Argentina. Me procuraram particularmente por eu ter feito o único try do Brasil , que deu a vitória para nossa seleção. A idéia principal da campanha é  usar a minha imagem de jogador de seleção brasileira. Como o rugby é um esporte que vem crescendo muito e que estão aparecendo novos patrocinadores e colaboradores , a Carmim decidiu investir no esporte também, lançando uma linha de underwear.

RdC - Qual sua reação diante da proposta "indecente"?
DG - A princípio fiquei um pouco receoso, pois nunca havia feito nada parecido. Mas depois que me passaram todas as informações sobre a idéia e como tudo seria feito , fiquei mais tranquilo !

RdC
- Fora do Brasil, especialmente na França, os jogadores fazem calendário de cueca ou semi-nus. O que você acha dessa associação do nu com o rugby?
DG - Não sou contra. Mas tudo depende da forma que é feita . Por exemplo o calendário da seleção brasileira feminina de seven, foi super bem feito e as fotos não ficaram nem um pouco apelativas. Inclusive tenho um calendário com alguns autógrafos delas ! E sou a favor que façam outro ! Rs ...

RdC - O rugby feminino está crescendo bastante, e muitas são influenciadas pela beleza dos jogadores dos masculinos, algumas ficam, outras não. Você acha que aquele seu outdoor de cueca em plena Paulista vai convencer ou ao menos estimular o público feminino a conhecer mais a fundo o rugby?
DG - Na verdade a campanha de underwear da Carmim, não é para difundir o rugby. E sim, introduzir a marca em um novo ambiente trazendo para este lado mais esportivo. Se vai estimular o publico feminino a conhecer o rugby , eu não sei , mas quem sabe elas não se interessam a comprar uma cueca da Camim para seus namorados ! Rs ...

RdC - Os meninos do Keep Walking fizeram um calendário beeeem sensual... você se inspirou neles pra fazer as fotos
DG - Não... eles são modelos profissionais ! Não chego nem perto disso ! Rs ...  Mas a fotógrafa foi a mesma! 



Bate-bola-oval:

- Time que joga :
Niterói Rugby F.C.
- Posição: Abertura
- Melhor try da carreira: Melhor try ... pela seleção de seven , em Twickenham contra os Templarios . O try mais importante foi contra a Argentina no sulamericano de 2011!
- Cuidados antes do jogo : Cuido muito da minha alimentação de do descanso 
- Parte mais malhada do corpo : ... Pernas  
<<<<- Cor de cueca preferida : Branca 
- A lingerie perfeita pra combinar com a sua cueca é...: Preta 



E aí, o que acharam do resultado? Será que a moda pega, hein? QUE PEGUE!

Para conferir mais fotos, vídeos e biografia do Gregg, acesse o site da Carmim
Quem não conhece o Dieux du Stade, joga no google! hehehe

Continue lendo...

17 de ago de 2011

Vakinha do SPAC Feminino

VAKINHA SPAC RUGBY FEMININO

VAKINHA DO SPAC FEMININO

Desde 1998 estamos escrevendo nossa história no cenário do Rugby nacional. No início tínhamos que lutar não só contra nossas adversárias, mas contra o preconceito da sociedade que sempre achou nosso esporte muito violento. 

Apesar de tudo isto, continuamos acreditando em nosso esporte e somos atualmente o melhor time do Brasil. Nossas conquistas não param por aí: Em 2003 vencemos o desafio internacional de Rugby XV na Argentina; Em 2009 fomos campeãs sul-americanas de clubes em Córdoba; Em 2005 fomos campeãs Brasileiras; Em 2006 e 2009 fomos campeãs do Torneio Valentin Martinez, no Uruguai e desde 2009 temos entrado em competições nacionais e internacionais com 02 times. O único time brasileiro a realizar tal feito. 

Este ano acreditamos e queremos conquistar o Torneio Valentin Martinez (Uruguai) novamente e sua ajuda, da forma que for, será muito importante. As despesas muitas vezes tornam nosso esporte difícil, mas sabemos que ele ainda será grande em nosso país e teremos o reconhecimento que merecemos. Sua colaboração é muito importante, entre em contato conosco ou acesse o link abaixo caso você queira fazer parte desta história. 

http://www.vakinha.com.br/VaquinhaP.aspx?e=103610 

Obrigada pela atenção,
SPAC FEMININO
spacfeminino@gmail.com
Continue lendo...

Região ganha times femininos de rúgbi

No ABC não existem times federados, segundo a Federação Paulista de Rugby
LUCAS PUENTE
Da Redação*


As atletas do ABC interessadas em rúgbi não precisam sair da região para treinar. A partir de março deste ano o ABC Rugby Clube, de Santo André, iniciou as atividades femininas. Agora os Hooligans, de São Bernardo, também aderiram à ideia.

Segundo a FPR (Federação Paulista de Rugby), não existem, no ABC, times femininos de rúgbi federados. Porém, as equipes amadoras com sete jogadoras de cada lado (modalidade olímpica) começam a surgir na região.

A equipe de Santo André, que existe desde outubro de 2008 com atletas masculinos, viu a criação de um time feminino como a oportunidade de expandir o esporte. “Apostamos no fato de que o rúgbi brasileiro feminino é bem mais conhecido internacionalmente do que o masculino, e montamos uma equipe no começo deste ano para ampliar a modalidade como um todo na região”, disse Murillo Ichikawa, presidente e atleta do ABC Rugby Clube.

Atualmente o time tenta trazer mais atletas para os treinos de sábado de manhã, já que apenas 10 garotas estão associadas. “Não há característica que limite a participação de uma menina. Um bom condicionamento físico ajuda de começo, mas idade, peso e altura, por exemplo, não são fatores limitantes. Apenas a vontade de treinar e conhecer o esporte são o bastante para começar a treinar”, explicou Murillo
.
Apesar de ser taxado como violento, o esporte ganhou espaço entre as meninas. “Às vezes eu me machuco um pouco, um arranhão ou uma batida, mas nada muito sério que me impeça de praticar”, contou Amanda Rovaron, 15, atleta do ABC Rugby Clube há três meses. Além disso, os times femininos tentam mostrar que o esporte não é apenas para homens. “O meu pai fala que o esporte é muito masculino para mim, mas ele fala de brincadeira, porque sabe que o esporte já se popularizou entre as meninas”, completou Amanda.

Além da equipe de Santo André, agora o ABC também conta com uma equipe feminina em São Bernardo, os Hooligans. O time começou os treinos masculinos em julho e já planeja o inicio do feminino para o final deste mês. “A intenção é começar os treinos em algumas semanas, porque já temos nove meninas confirmadas para as primeiras atividades”, informou Torugo, responsável pela equipe.
Os treinos masculinos e femininos dos Hooligans ocorrem aos domingos em Santo André, enquanto a equipe ainda negocia uma sede em São Bernardo.

Rúgbi – Atualmente disputado em mais de 120 países, o Rúgbi surgiu no início do século XIX na Inglaterra. O objetivo do jogo é ultrapassar a linha de fundo da equipe adversária, apenas correndo com a bola ou passando para o lado ou para trás. A Copa do Mundo da modalidade é o terceiro evento esportivo mais assistido do mundo, perdendo apenas para as Olimpíadas e a Copa do Mundo de Futebol.
*Esta reportagem foi produzida por alunos do curso de Jornalismo da Universidade Metodista de São Paulo

Fonte: http://www.metodista.br
Continue lendo...

8 de ago de 2011

Arbitragem feminina é destaque na primeira rodada do Super 10

Cristiana Futuro apitou a vitória do Desterro sobre o BH por 58 a 17

A primeira rodada do Super 10 - Brasileiro de Rugby contou com arbitragem feminina. A fluminense Cristiana Futuro esteve à frente do jogo em que os catarinenses do Desterro venceram os mineiros do Belo Horizonte por 58 a 17, no 12º GAC, em Jundiaí/SP.

A presença de Cristiana Futuro reflete o contexto de capacitação e planejamento por que atravessa a arbitragem brasileira. Cristiana disse que encarou a oportunidade como um desafio, que estava ansiosa em função da responsabilidade e de perceber que ainda há certo preconceito. No entanto, agradece pela confiança à Diretoria de Arbitragem e aos jogadores.

Santiago Simon, capitão do Belo Horizonte, disse que não importa o sexo de quem apita, desde que compreenda, que saiba aplicar as regras, e que conduza bem o jogo. João Luiz da Ros, o Ige, capitão do Desterro e atleta da seleção brasileira, estava um pouco apreensivo antes da partida. Disse não saber bem como Cristiana Futuro se comportaria frente as situações de contato, sobretudo nas disputas de scrum e nas formações de ruck e maul com vários jogadores, incomuns no rugby sevens, modalidade praticada pela categoria feminina no país. No entanto, durante a partida, observou que não houve dificuldade para ela em se impor e se fazer respeitar, mesmo nas situações onde os ânimos pareceram se exaltar um pouco. Aplicou cartão amarelo sem hesitar, justificando sua ação. Ademais, Ige comentou que a arbitragem foi boa e coerente, o que possibilitou a continuidade do jogo e a diversão dos atletas.

Foto: Elisandreia Rodrigues
Fonte: CBRu
Continue lendo...

5 de ago de 2011

Circuito Gaúcho Feminino de Sevens

O município de Pelotas receberá neste sábado a terceira e penúltima etapa do Circuito Gaúcho Feminino de Sevens. Seis clubes confirmaram presença. O desafio de cinco deles é parar o irrefreável Charrua.

Atual campeão estadual e quarto melhor do Brasil na última temporada, o clube de Porto Alegre venceu as duas primeiras etapas, em Rio Grande e Caxias do Sul, sem sofrer nenhum try. Caso de sequência à boa fase, pode abrir 18 pontos na liderança e depender apenas da participação na última etapa, em Porto Alegre, para sagrar-se bicampeão.

Além do Charrua, participarão da etapa o San Diego, Serra, Atlântico Sul, Universitário e o anfitrião Antiqua. Os jogos iniciam às 10h, no Parque Lobão, e devem se estender até as 17h.

Continue lendo...

1ª Clínica de Rugby XV Feminino



Continue lendo...

4 de ago de 2011

Resende sedia a 3ª Etapa do Estadual Fluminense de Rugby Feminino

Jogadoras de rubgy de todo o Estado estarão em Resende (RJ) no próximo sábado (13), para participar do Campeonato Estadual. A cidade vai sediar a 3ª etapa da disputa, entre 9h e 17h, no Ginásio da A.R.B.R. A tabela de jogos ainda não foi definida.
  
Fonte: Organização do evento
Continue lendo...

Copa das Nações Feminina começa no Canadá

Por Victor Ramalho
Inglaterra e Canadá estreiam com vitória no novo torneio


Teve início na cidade de Chatham, Ontario, Canadá, a Copa das Nações Feminina de Rugby XV, envolvendo quatro seleções: Canadá, Estados Unidos, África do Sul e Inglaterra. Na primeira rodada, deu a lógica, com triunfos de Canadá sobre a África do Sul e Inglaterra sobre os Estados Unidos. A próxima rodada será no dia 5 de agosto, com o duelo entre as seleções da América do Norte. O torneio garante mais jogos de alto nível ao rugby de XV feminino, incluindo Estados Unidos, Canadá e África do Sul, países fora dos principais eixos do rugby internacional feminino, em um calendário de alto rendimento mundial.



Copa das Nações Feminina - Canadá 2011
Canadá 52 x 17 África do Sul
Estados Unidos 11 x 15 Inglaterra
Classificação

1º - Canadá -5 pontos
2º - Inglaterra - 4 pontos
3º - Estados Unidos - 1 ponto
4º - África do Sul - 0 ponto

Fonte: Nations Cup e Blog do Rugby
Continue lendo...

França sedia mundial feminino de 2014


O IRB elegeu a Federação Francesa de Rugby como anfitriã do próximo mundial feminino de rugby que acontecerá em 2014.

A França derrotou as candidaturas dos Estados Unidos, Cazaquistão, Samoa e Nova Zelândia. A competição é disputada de quatro em quatro anos e a edição francesa será a sétima da história. A Nova Zelândia é a atual e maior vencedora do torneio, com quatro conquistas, seguida de Inglaterra e Estados Unidos, com uma conquista cada. A França tem como melhor resultado o terceiro lugar, obtido em quatro oportunidades. (Blog do Rugby)

Para o torneio de 2014, França (anfitriã), Nova Zelândia (campeã em 2010), Inglaterra (2ª colocada) e Austrália (3ª colocada) já estão classificadas.

Continue lendo...

2ª Etapa do Circuito Feminino de Rugby do Nordeste


Maceió receberá a 2ª Etapa do Circuito Feminino de Rugby do Nordeste 2011 nos dias 27 e 28/08. O local será divulgado em breve pela organização.

Informações: carmenffreire@gmail.com

*Haverá amistosos entre as equipes masculinas.

Classificação:

1º Recife Rugby Club
2º UFPE Rugby
3º Iracema Rugby
4º Cães da Areia



Continue lendo...

Júlia Sardá no Futebol de Sutiã

Não é o Rugby de Calcinha, mas é o Futebol de Sutiã!!!

Na estreia, as meninas do Futebol de Sutiã falam um pouco sobre rugby e ainda contam com a participação da nossa capitã, Júlia Sardá.

Continue lendo...

2 de ago de 2011

Encontro feminino universitário chega à 2ª edição

As meninas da USP realizam novamente o Encontro feminino de Rugby universitário, no CEPEUSP, no próximo dia 20 de agosto, tentando superar o sucesso da edição inicial, realizada em 2010, com a presença das equipes da USP, EACH, Mackenzie, FFLCH e UNESP de Botucatu e de jogadoras de alguns dos principais clubes do Brasil.
Veja como foi o Encontro Feminino Universitário de 2010  e inscreva a sua equipe no próximo encontro!
Interessado? O email de inscrição ou para conseguir mais informações é contato@usprugby.com.br


Fonte: Blog do Rugby
Continue lendo...

1 de ago de 2011

Orkut: parceiro importante para o Rugby Feminino


Você já imaginou como uma comunidade do Orkut pode unir praticantes de um esporte pouco comum entre mulheres e contribuir para a criação de equipes e até competições oficiais? Foi exatamente o que aconteceu na comunidade Rugby Feminino: com 1.713 participantes, a comunidade ajudou essas mulheres apaixonadas pelo Rugby a desenvolver a modalidade no Brasil.

Quem conhece a truculência do esporte pode até achar estranho o interesse de mulheres pelo Rugby, mas Maraísa Barazoli, participante da comunidade e integrante do time feminino do Bandeirantes Rugby Club, explica: “o Rugby não é um esporte violento; é um esporte de contato, mas de muito respeito. Você precisa cuidar da integridade física das suas colegas e adversárias segundo as próprias regras do jogo”. Ela explica que começou a usar a comunidade – criada por uma companheira de time – para marcar jogos amistosos com outras equipes, saber quem são (e onde estão) as outras jogadoras brasileiras, e até mesmo para conseguir novas integrantes para seu time. “O Orkut foi uma ferramenta excelente para essa comunicação. Tenho obtido retorno constante nas postagens que faço na comunidade buscando por jogadoras que queiram se juntar ao Band”.


Maraísa conta ainda que o clube ganhou jogadoras de alto nível por conta da comunidade! E outras equipes no Brasil todo também puderam se formar como resultado deste ponto de encontro do Orkut. O relacionamento na comunidade extrapolou os limites do virtual e transferiu-se para o real: “conhecemos pessoalmente, em torneios, jogadoras de outros estados que participavam da comunidade. Uma vez até arrumamos hospedagem para jogadoras do Recife que vieram participar de um campeonato em São Paulo”.

A modalidade, segundo Maraísa, está mais forte do que nunca hoje no Brasil. E o Orkut foi um parceiro muito importante para isso. "Obrigada, Orkut!!”

Se você se interessou pelo esporte e quer conhecer mais sobre o Bandeirantes Rugby Club, acesse o site deles em www.bandrugby.com.br.

E se você tem uma história parecida, de como a participação em uma comunidade do Orkut refletiu na sua vida, conte para nós neste formulário!

Postado por Valdir, Equipe de Marketing do Orkut
Continue lendo...

Arquivos

 

Rugby de Calcinha Copyright © 2009 Rugby de Calcinha